domingo, 30 de outubro de 2011


AS PROFECIAS DE SÃO MALAQUIAS


De acordo com as previsões do santo irlandês, falta apenas mais um papa e a humanidade vai passar por um cataclismo final

No século XII viveu na Irlanda um monge chamado Malaquias, que foi mais tarde canonizado pela Igreja. Afirma-se que em 1139, ele escreveu uma profecia que veio a ser conhecida apenas em 1595, graças a um monge beneditino, Arnold de Wion. A profecia de Malaquias dava a lista de todos os Papas que viriam depois de Inocêncio II, caracterizando cada um com uma curta divisa.
Havia apenas 112 divisas. A última anunciava o fim do papado e um grande transtorno na História do mundo: “Na última perseguição da Santa Igreja Romana reinará um Pedro romano que, entre muitas atribulações, apascentará suas ovelhas. Uma vez passadas, a cidade das sete colinas será destruída e um juiz julgará o povo”.
Muitos estudaram essa lista para comparar os Papas com seus respectivos lemas. As coincidências encontradas são simplesmente surpreendentes. Assim, Pio VII, que coroou Napoleão, foi denominado a “águia jovem”. Leão XII, que levava em sua heráldica um cometa sobre o espaço azul, foi chamado “a luz no céu”. Pio X, cujo pontificado terminou com a guerra de 1914, “o fogo ardente”. A divisa do Papa Paulo VI é “a flor das flores” e isso se pode comprovar com o fato de ter sido o único cardeal do Sacro Colégio cujo brasão levava um lírio.
Na lista dos papas, Paulo VI seria o de número 108. Portanto, se se acreditar em São Malaquias, João Paulo I foi o de número 109, João Paulo II o de número 110 e o atual Papa Bento XVI o de número 111. Falta portanto apenas mais um Papa para que a profecia se cumpra. Com a ajuda dessa lista, e tomando a duração média do reinado de cada Papa, pode-se cogitar a distância do cataclismo que espreita o Cristianismo: está bem perto!

NOSSA LÍNGUA

Fianga No CE é rede velha, rasgada, mãe-velha. 

5 comentários:

  1. Sempre houve uma curiosidade muito grande da humanidade para desvendar o futuro. Isso está presente em todas as culturas, inclusive nos índios do chamado "Novo Mundo".Os gregos tinham suas pitonisas e seus oráculos, os celtas tinham seus druidas e videntes. Em suma, todos os povos tiveram seus profetas e a margem de erro ou acertos dessas profecias dependem muito da interpretação.
    Luiz Gonzaga e Zédantas, dois gozadores de carteirinha, fizeram um interessante baião chamado A PROFECIA que diz:
    Mecê já leu, ô seu dotô, as profecias do véio Mané Sinhô???
    Vale a pena ouvir, pela irreverência com que o tema é tratado.

    ResponderExcluir
  2. o besteirada !!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Sinceamente não acredito em profecias, quer de Nostradamus, quer de São Malaquias ou de qualquer outro ser humano. Acreditar que há um destino irrevogável, previamente traçado é descrer do livre arbítrio do homem. A evolução da humanidade é um caminho com desvios, ajustes, correções, tudo dependendo de como os homens utilizam o livre arbítrio.
    Por exemplo: estamos no meio de uma crise ecológica mundial, que já tem efeitos visíveis no clima. Se a Humanidade não tomar consciência disso e não fizer correções na maneira de explorar a Natureza, inevitavelmente ocorrerão grandes cataclismas. Dessa forma, esses desastres naturais são até certo ponto evitáveis, desde que o homem dê saltos evolutivos na sua compreensão e comportamento.
    Li na revista Sophia deste último trimestre do ano, em artigo escrito pelo astrólogo e filósofo Ricardo Lindemann, que ocorrerão sete quadraturas exatas de Urano com Plutão, nos dias 24 de junho e 19 de setembro de 2012, 20 de maio e 1º de novembro de 2013, 21 de abril e 15 de dezembro de 2014 e 16 de março de 2015. Desse modo, a Astrologia prevê uma tendência à manifestação de um período de crise que só seria superada a partir de 2026, culminando em 2029 com a criação da Federação das Nações, que traria o fim das guerras e uma nova era de fraternidade e paz. Mas a Astrologia, note-se bem, prevê tendências, que poderão ou não se concretizar, dependendo do uso que o homem faz do seu livre arbítrio.

    Flávio Henrique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por isso mesmo meu caro,profecias são adivertencias,ora se são adivertencias é óbvio que sua finalidade é avisar e assim é calro que se pode evitar,entendeu????se quem escrewve profecias e/ou acredita não é dono da verdade e voce? é?

      Excluir
  4. Será que São Malaquias preveu também o absurdo silêncio do Papa Pio XII em relação ao holocausto judeu durante a gerra ?

    Interessante o comentário do amigo Flávio Henrique que não acredita em profecias mas acredita em astrologia.

    De maneira geral acho que o catolicismo segue ladeira abaixo por reconhecer erros tardios e se fechar achando que lidera as massas.

    Demetrius Marreiro

    ResponderExcluir