quinta-feira, 31 de agosto de 2017

SONETO


ADEUS PARA UM AMIGO*

Pedro Paulo Paulino

E lá se vai mais um amigo embora,
No bonde pontual da eternidade,
Deixando a dor nos olhos de quem chora,
E muito mais, no coração, saudade.

Seu riso, na retina, se demora,
Qual marca registrada de amizade.
Sua presença se tornou outrora,
Mas os seus rastros ficam na cidade.

Em cada canto, a sombra do seu gesto,
Como um retrato vivo continua;
Em cada esquina, aquele aceno antigo...

Cada lembrança é como um manifesto
Bradando de saudade em plena rua,
Quando se vai um verdadeiro amigo.


*Homenagem do autor à memória do canindeense Assis Vidal (1953-2017). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário