sábado, 27 de maio de 2017

SONETO

CORES DE MAIO

Pedro Paulo Paulino

É maio. Sobre a terra o sol flameja
Tornando a natureza mais bonita.
Folhas e flores, brando vento agita;
E a terra, ainda úmida, viceja.

Naquele galho, um bem-te-vi habita;
Naquela flor, a borboleta adeja;
Nos ares, uma aragem benfazeja
Em nossa volta, sem cessar, levita.

A floração dos pés de jitirana
Compete, em seu primor, com outras flores
– Talvez com a flor branca da chanana.

Em tudo, mil palpitações de amores,
Pois o sertão inteiro se engalana
Coberto de perfumes e de cores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário