domingo, 16 de novembro de 2014


CONTRADIÇÃO

Pedro Paulo Paulino

A milhões de quilômetros distante,
Um mensageiro a mando dos humanos
Produz tal feito que nos deixa ufanos
De nossa ciência nunca tão brilhante!

No núcleo frio de um cometa errante,
Pequena sonda pousa sem ter danos,
Depois de navegar por muitos anos
Na profundeza cósmica gigante.

A mesma inteligência (oh! Ironia)
Que o infinito além dos céus vasculha
Em busca do que lá se esconderia,

Aqui na Terra, tanto tempo faz,
Procura como no palheiro agulha
E não encontra simplesmente paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário